Doces

Doces

Cora Coralina em seu ofício de doceira.

Impossível visitar a Cidade de Goiás e não se deliciar com seus tradicionais e irresistíveis doces. Ana Lins dos Guimarães Peixoto Bretas, a nossa Cora Coralina, espalhou poesia brasileira ao redor do mundo mas antes de nos presentear com seus versos, ela deliciava amigos e vizinhos com seus doces. “Sou mais doceira que escritora”, dizia a mais ilustre vilaboense, que escondia seus poemas em caixinhas de doces, tanto por receio do marido quanto para presentear amigos. Cora assim como tantas outras moradoras da Cidade de Goiás e outros recantos goianos, são as responsáveis pela perpetuação dessa gostosa cultura, com suas receitas maravilhosas passadas de geração em geração.
Os goianos sabem aliar beleza e gastronomia, principalmente em relação aos doces, uma espécie de cartão de visitas do nosso povo. Essa tradição remonta aos tempos da colonização, quando a doçaria portuguesa encontrou os frutos exuberantes do cerrado. Doces de mamão, figo verde, manga, laranja-da-terra, limão galego e tantos outros, em barra, calda ou cristalizados, tornaram-se obrigatórios na cozinha goiana e os doces na Cidade de Goiás constituem-se em um Patrimônio Cultural Imaterial.
Essa tradição está diretamente ligada aos doces produzidos nos conventos portugueses, séculos atrás. Galinhas eram criadas nos quintais dos conventos, sua carne servia de alimento, as claras dos ovos eram utilizadas para engomar as roupas e para que as gemas não fossem desperdiçadas, as freiras começaram a usá-las para fazer iguarias refinadas e com nomes lúdicos. Assim surgiram docinhos como o triunfo-de-freira, cabelos de virgem, pastel de Belém e o manjar-real entre outros. Essa tradição dos doces conventuais, como ficaram conhecidos, ainda resiste no Brasil, em pequenas cidades do interior, como na Cidade de Goiás.

A partir da esquerda: flor de coco, alfenim, bolo de arroz e o limãozinho.

São inúmeros os doces que você pode provar em nossa cidade, como os de flor de coco, delicadas flores feitas com fitas de coco cozidas em água de coco e açucar; o cajuzinho do Cerrado leva a fruta típica da região o cajuzinho mais açúcar, banana, água e açúcar granulado; o limãozinho, feito com pequenos limões em calda recheados com doce de leite ou os figos verdes em calda também recheados com doce de leite; o alfenim, típico doce goiano, com origem árabe medieval, vem da palavra árabe “al-fenid”, que significa ‘aquilo que é branco’ e é um doce de ingredientes simples, apenas polvilho azedo com açúcar e poucas gostas de limão mas que exige mão boa para acertar o ponto e ganhar infinitas formas delicadas; o famoso pastelinho de Goiás, uma delicada tortinha de massa doce recheada com doce de leite e canela, sendo que a banha de porco é o segredo que deixa a massa crocante. E não podemos deixar de lembrar do irresistível e delicado bolo de arroz goiano, que saindo do forno conquista os turistas já pelo seu delicioso aroma. Enfim, são tantos os doces tradicionais em nossa região que vale a pena um tour gastronômico para provar essas iguarias.

Pastelinho de Goiás.

Os doces são tão importantes na vida de nossa cidade que nos dias 17 a 20 de agosto de 2018 houve a primeira edição do Festival Doçuras de Goiás, que teve a Associação Casa de Cora Coralina como anfitriã e o apoio da Prefeitura Municipal da Cidade de Goiás. O evento foi um festival de doces em homenagem à tradição doceira de Goiás com oficinas e palestras com tradicionais doceiras da cidade, além de chefs de outros locais. O Doçuras de Goiás terminou no dia do aniversário de Cora Coralina com a Santa Missa celebrada na Igreja do Rosário e a tradicional partilha do bolo gigante, em comemoração ao nascimento de nossa poetisa e a celebração do Dia do Vizinho. Aguardamos para 2019 uma nova edição ainda mais gostosa do evento.
Esqueça a dieta e venha se deliciar com nossos maravilhosos doces!

Confira algumas das doceiras da Cidade de Goiás.

Cantinho do Doce
F: (62) 98595-8507

Cristina Doces e Flores
F: (62) 99940-6409

Doce Arte – Dona Augusta
F: (62) 3371-1472 / 98642-1472 / 98445-7851

Dona Dita
F: (62) 3371-3581

Dona Divina
F: (62) 3371-1484

Dona Dóris
F: (62) 3371-4605

Eliane Doces Cristalizados
F: (62) 98479-1126

Dona Inês
Mercado Municipal

Dona Josefina Miranda
F: (62) 98506-6532

Dona Silvia
F: (62) 3371-1312

Dona Zilda
F: (62) 3371-2114

Pastelinho da Rita
F: (62) 3371-1602 / 99651-4700